Início > Opinião, Política > Tragédia Grega

Tragédia Grega

Muito se falou esta semana que passou sobre a decisão extemporânea do primeiro ministro grego de referendar o futuro da Grécia na zona Euro! Muita indignação que compreendo pela surpresa da medida.

Existem duas formas na minha perspectiva válidas de abordar esta decisão. Sendo a Grécia uma democracia é perfeitamente válido que o governo deseje interrogar os seus cidadãos sobre as grandes opções que têm pelo frente! Por outro lado, observa-se que a mesma atitude não foi tomada quando os gregos entraram no Euro o que em parte permite fazer uma contra argumentação forte!

Pode-se ainda questionar o timing em que o refendo foi anunciado, poucos dias após um perdão de dívida. Isto colocou os gregos mais uma vez na mó de baixo em relação aos restantes países da zona Euro. Na realidade, se Papandreou já tinha a ideia do referendo em mente, poderia tê-lo anunciado antes do perdão e evitar um denegrir ainda maior do estatuto dos gregos perante os restantes países da zona Euro.

Apesar de tudo sou da opinião que se o referendo fosse realizado e se os gregos fossem verdadeiramente bem informados sobre as implicações da sua decisão, julgo que optariam por acatar as medidas que lhe são impostas e permanecer no Euro.

Por sua vez Papandreou optou por retroceder nas suas intenções o que atendendo às enormes perdas que a atitude do mesmo gerou por toda a Europa, lhe retirou toda a sua legitimidade, obrigando à formação de um novo governo de coligação ou o recurso a eleições.

Caso este tivesse mantido a palavra isso implicaria a definição de uma data para o final do impasse que a Grécia vive, isto porque o mês de Dezembro seria a data em que a especulação acabaria, tanto pela legitimação das medidas de austeridade como pelo anúncio da entrada em default da Grécia!

Finalizando, e após Papandreou ter passado a moção de confiança, o aspecto mais importante que foi conseguido com esta decisão, foi colocar finalmente a oposição grega a trabalhar em prol da Grécia ao integrá-la na coligação de governo agora anunciada. Julgo que finalmente se começam a reunir condições favoráveis à estabilidade na Grécia que desde o início da intervenção da troika anda em parte incerta.

No fundo todas as decisões e indecisões de Papandreou, à excepção do colapso dos mercados no momento do anúncio, acabaram por resultar a favor da Grécia. No entanto, mais que apelidar Papandreou de um grande estadista, como muitos rapidamente afirmaram, julgo que se mostrou um político com tanto de coragem como de loucura. Acabou por correr bem, mas ainda há muito trabalho por realizar…

Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: